O que eu devia ter dito, mas não disse!

Postado em Atualizado em

Certa vez em uma reunião de oração, a qual um amigo dirigia, ouvi uma mulher ‘agradecer’ que havia pedido a Deus uma máquina de lavar e então conseguiu o dinheiro para comprá-la e comprou uma de 8 Kg, porém quando deixaram a máquina na casa dela, verificou que havia uma de 18 Kg. Para ela aquilo tinha sido uma benção de Deus, que a deu ‘além do que havia pedido’, pois “como ninguém da empresa entrou em contato, então ela não podia fazer nada.”

Nesta mesma reunião tive a oportunidade de falar e devia ter dito isto:

Se por acaso você tivesse uma unha encravada e quando o médico fosse extraí-la, amputasse seu pé, você entenderia isso como sendo a mão de Deus? Acho que não, então porque considerar erros que nos beneficiam como se fossem?

Ao lermos o livro de Jó encontramos a seguinte declaração, após ter tomado conhecimento que havia perdido todos os bens e filhos: “Receberia apenas os bens de Deus e não os males?” Incrível,afinal este homem estava disposto a receber bem ou mal que viessem da parte de Deus, o que me leva a considerar que ele rejeitaria qualquer bem ou mal que não viesse de Deus! Logo, para Jó não importava tanto o bem ou no mal, mas aquele que segundo Nietzsche está “acima do bem e do mal” [*]: DEUS.

A senhora não considerou o fato de que esse erro que a faz receber uma máquina com o dobro da capacidade que havia comprado poderá ocasionar o desconto do valor do erro no salário do empregado que o cometeu ou até mesmo seu desemprego, afinal a empresa ou a loja não irá aceitar perda nenhuma.

Então como posso considerar uma benção de Deus aquilo que possivelmente prejudicará alguém e se este alguém tiver dependentes, até estes serão prejudicados, visto que poderá afetar o aluguel, a feira, as fraldas, os compromissos à pagar etc.

Penso que a senhora deva ir pessoalmente a loja ou entrar em contato por telefone e explicar o que ocorreu, que comprou uma máquina de 8, mas recebeu outra de preço superior ao que pagou e queria fazer a devolução. Acredito que esta atitude seja uma benção de Deus para alguém que a senhora talvez não conheça, mas que por sua ação será abençoado, pois “abençoar compete a Deus, mas ser uma benção diz respeito a nós.”


Nota

[*]
Em nenhum momento Nietzsche faz referência a Deus em seu livro, apenas tomei emprestado o título do livro para referir-me a Deus.

Anúncios

9 comentários em “O que eu devia ter dito, mas não disse!

    George disse:
    20 de outubro de 2011 às 6:23 pm

    Excelente, Bruno. Tal atitude dessa sra, ainda q em nada prejudique mais ng, é, por si só, desonesta. Com essas novas “teologias” aparentemente o crente precisa se dar bem da forma q for, não necessariamente na retidão e honestidade. Abraço!

    Thiago Oliveira disse:
    21 de outubro de 2011 às 1:01 pm

    Espero que a gente não se pegue falando: “O que eu deveria ter feito e não fiz”. Ser cristão é demonstrar o nosso relacionamento vertical na via horizontal, e para isso temos que estar dispostas a ser uma benção.

    Muito bom o texto Bruno!

    Em Cristo,
    Thiago Oliveira

    Deylson Castro disse:
    27 de outubro de 2011 às 5:17 pm

    Iae Zé Bruno, to bem! Visitei seu blog, muito bom. Concordo com a matéria: “O que deveria ter dito, mas não disse” … A mulher teve a oportunidade de evangelizar os funcionários da loja através de sua HONESTIDADE, mas não o fez… é uma pena como muitas vezes o ser humano se realiza com tão pouco. Um abraço irmão!!!

    ThiagoA disse:
    7 de novembro de 2011 às 1:31 pm

    Da mesma forma que a mulher “deveria ter dito, mas não disse”, vc tbm “O que deveria ter dito, mas não disse” a ela o erro, pois em Mateus 18, 15 e 16 diz: “Ora, se teu irmão pecar, vai, e repreende-o entre ti e ele só; se te ouvir, terás ganho teu irmão; mas se não te ouvir, leva ainda contigo um ou dois, para que pela boca de duas ou três testemunhas toda palavra seja confirmada.” Espero que você tenha aprendido com os seus erros tbm! Shalom

    Alex Balbino disse:
    19 de março de 2012 às 1:01 pm

    Caráter independe de ser cristão.

    Micheline Coutinho disse:
    19 de março de 2012 às 1:28 pm

    Isso mesmo Bruno, como cristã, honesta e responsável pelas minhas atitudes perante Deus, agiria da forma q vc falou! Exigiria o q de fato comprei e paguei! Xeros qrido =’;’=

    Anuska Maia disse:
    19 de março de 2012 às 2:03 pm

    Amigo, sou sua fã!
    Vc é uma benção!!!
    Beijoooo …

    Maria Carla disse:
    19 de março de 2012 às 4:02 pm

    Brunooo!!! Show!!! Concordo plenamente com sua conclusão! Parabéns pelo texto!!! Deus te abençoe sempre, amigo!!! Bjo!

Gostaria muito de conhecer sua opinião sobre este post/ I'd like to know your opinion about this post

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s