Mês: abril 2013

#1 Com Humor: Filmes de Crentes – parte 1

Postado em Atualizado em

lista final1

Arte: Lucas Gama
Texto: Alex Balbino

Anúncios

O Conhecimento de Deus – C.H. Spurgeon

Postado em

Em 7 de janeiro de 1855 o ministro da capela da rua New Park começou seu sermão matinal do seguinte modo:

Spurgeon-PreachingJá foi dito por alguém que “o estudo adequado da humanidade é o próprio homem”. Não me oponho à idéia, mas creio ser igualmente verdadeiro que o estudo correto do eleito de Deus é Deus; o estudo apropriado ao cristão é a divindade. A mais alta ciência, a mais elevada especulação, a mais poderosa filosofia que possa prender a atenção de um filho de Deus é o nome, a natureza, a pessoa, a obra, as ações e a existência do grande Deus, a quem chama Pai.

Nada é melhor para o desenvolvimento da mente que contemplar a divindade. Trata-se de um assunto tão vasto, que todos os nossos pensamentos Leia o resto deste post »

Compaixone-se – Compassion | Vídeo Promo (HD)

Postado em Atualizado em


Confesso que ando cansado de composições cujo conteúdo são alheios a vida e que no máximo são a extração de textos, mas com desrespeito a seus contextos e a realidade.

Por muito tempo esse tem sido o tipo de composição de alguns grupos evangélicos, todavia já deu, penso que a música evangélica brasileira precisa amadurecer e se libertar de si, passando a caminhar no chão da existência, enxergando as diferenças que compõe nosso mundo e tirar delas uma poesia que nos leve a oração e a militância para que a justiça corra verdadeiramente em nossas ruas e cidades.

Gosto de ver o novo, principalmente quando este novo é o velho que a muito tempo deixou de ser visto e vivido.

Quando ouço falar de uma nova banda no cenário nacional, de começo humilde, pequeno, mas com pessoas que antes de serem artistas são engajados em questões sociais em suas cidades, boto a “mô fé”. Principalmente porque é uma banda formada por amigos e que têm como suas influências musicais o U2, Delirious?, ColdPlay, Palavrantiga, Jota Quest e outros, sem falar que se descrevem com o seguinte objetivo “fazer música, música honesta, sincera, que conecte às pessoas ao mundo e o mundo as pessoas”.

Esta banda é a Compassion e o vídeo acima é seu promo, espero que assim como eu, você o ouça e se deixe levar pela sua dinâmica e desafio.

Para maiores informações:
Site: http://www.compassion.art.br
Facebook: http://www.facebook.com/compassionoficial
Twitter: @bandacompassion
E-mail: contato@compassion.art.br

Na compaixão do Cristo,
Zé Bruno

3.0 De Histórias, Minhas Histórias. Dias de Luta, Dias de Glória

Postado em Atualizado em

30Cheguei no 3.0 colecionando histórias, causos e boas piadas, mas também trazendo comigo tristes lembranças, derrotas nunca vencidas e fardos nunca aliviados. Cheguei como qualquer um chega com suas alegrias e tristezas, lutos e celebrações, vitórias e derrotas, pecados e perdões…

Completar 30 anos é chegar num momento tão passageiro, mas tão passageiro que dura somente 24 horas e é neste ajuntamento de minutos que cabem num dia em que vivemos a celebração não dos anos conquistados, mas daquele que os conquistou. Leia o resto deste post »

Frase da Semana 37 – Ricardo Barbosa

Postado em

Não ore como você imagina, ore como você pode.

Ricardo Barbosa

Paulo, Barnabé e João Marcos – refletindo a partir de um confronto

Postado em

Montagem Danilo Fernandes

Para muitos os personagens bíblicos são seres perfeitos, tipo os super-heróis da nossa infância e adolescência, todavia não é esta a imagem que as Escrituras fazem deles, antes os desnudam e revelam quem na verdade eram “humano(s) como nós”.

Ao lermos o livro dos Salmos encontramos as orações de alguns desses homens, cujas orações oscilam entre a confiança e o medo, a paz e a insegurança, o perdão e o ódio.

Paulo, o ícone do Novo Testamento tem sido para muitos o cara perfeito, mas passeando pelo livro de Atos, encontramos o seguinte texto: Leia o resto deste post »

#3 Pertubações: Protestando contra a maldade sem deixar de “amar a quem se deveria odiar”

Postado em Atualizado em

A época de Atos era uma época meio bizarra. Era aquela época que nego virava e ficava feliz de ter feito alguma coisa na Igreja, e de ter apanhado por ter feito isso – olha que viagem, né?

Aí me vira uma pancada de gente hoje, querendo reviver os tempos de Atos, loucos para serem considerados os ~loucos deste mundo~ querendo apanhar e serem censurados por servirem à Deus e acabam esquecendo de fazer uma só coisa: dar motivo (pelo menos o motivo certo) para apanharem.

Os discípulos apanharam não só porque serviam à Deus, mas porque suas atitudes iam na contramão dos interesses (inclusive religiosos) de toda uma sociedade. Eles faziam isso não pra ser do contra, mas porque entenderam seus propósitos e ações.

Ser do contra não é ser cristão, ser do contra é ser chato. Um cristão diferencia-se de um chato qualquer porque tem um objetivo só: ser imitador de Cristo. Então, antes de achar que ir na contramão do mundo é ser contra homossexualismo e lutar contra os direitos de homossexuais, deixa eu te avisar uma coisa: isso é o que todo mundo faz.

Manifestar ódio e repúdio ao diferente, ao que discorda não é ser diferente, é ser mais do que há por aí. Ir na contramão do mundo é amar a quem deveria se odiar. É restaurar a orelha do policial que veio te prender, assim como abraçar aquele que quer derrubar a sua igreja e acha que crente deve tudo morrer.

Ser louco para o mundo não é armar um circo político para manter a igreja salva, é chegar no Jean Wyllys e parabenizá-lo pela militância contra o trabalho infantil. Ser louco para o mundo é manter-se fiel aos princípios da Bíblia, sendo irrepreensível e pregar o Evangelho. Não uma historinha linda com final feliz, não uma historinha de gênio da lâmpada, não uma fábula antiga sobre leões e gigantes. Mas pregar a Palavra, pregar a conversão e pregar a Vida Nova.

Igor Santos (Abigobaldo)

Umas das primeiras cenas da trilogia Homem-Aranha mostra Peter Park no corredor de um edifício cruzando com um homem que acaba de cometer um crime. Não há por parte de Peter, nenhuma reação para tentar neutralizar o infrator. Existe inclusive um ar de prazer no seu rosto, pois as vítimas tinham acabado de se desentenderem com o mesmo. Ao sair do edifício, o criminoso atira no tio de Peter ( pai de criação) que esperava-o no carro.E a vida imita a arte. Ou seria, a arte imita a vida? As ações e omissões que praticamos diariamente não afeta somente o alvo visado ou o mais próximo. Afeta a todos os homens. Uma agressão a qualquer ser humano é uma agressão a todos os homens. Omitir-se diante das injustiças praticadas na nossa frente, só porque elas não dizem respeito diretamente a nós, é cooperar com o mal. O efeito é em cadeia. Pequenos atos diários e aparentemente insignificantes preparam o solo onde de tempos em tempos o mal apresenta sua face terrível e crava suas garras no peito de milhares de inocente. Não se levantar em protesto diante da maldade é adubar o terreno. Como alguém bem sintetizou : para que o mal prospere, basta que homens de bem não faça nada. Nós não podemos por uma máscara e sair voando entre edifícios e carros, mas com rostos descobertos, fazendo o bem sem olhar a quem, podemos mostrar que o bem também tem um rosto a ser conhecido.

Rodrigo Moreira

Frase da Semana 36 – Martin Luther King

Postado em

Se alguém estiver perto de mim quando chegar o meu dia, não desejo um grande funeral e se alguém quiser falar de mim que não seja muito, digam que não mencionem que tenho o prêmio Nobel, nem que recebi trezentos ou quatrocentos outros prêmios mais. Isso não importa, eu só quero que digam que Martin Luther King tratou de amar alguém, sim digam que eu era um tambor, um tambor da justiça, um tambor da paz, um tambor da retidão, tudo mais não importa, eu não tenho dinheiro pra deixar nem luxos, nem as coisas consideradas boas da vida, só quero deixar atrás de mim uma existência comprometida.

Martin Luther King

 

Apenas um sonho

Postado em Atualizado em

por Jonas Madureira

Quando Deus chama, ele faz o que ele chama.

John Wesley

oleiroAs mãos enrugadas, marcadas pelo tempo e pelo labor incansável, tocam o barro junto à roda. O barro, ainda disforme vai girando numa cadência estonteante. As mãos do oleiro, em movimentos lânguidos e precisos, contornam e dão forma ao caos.

Um pastor se aproxima e observa os movimentos, quase sem respirar, tomando todo o cuidado possível para não atrapalhar o ofício do oleiro. Por um instante, a atenção do pastor se volta para os olhos do oleiro, e não mais para as suas mãos. O olhar do oleiro está fixo na direção do barro. E o pastor perplexo descobre que nada, nem a sua presença ali, é capaz de roubar a atenção que o oleiro dispensa sobre a sua obra. Leia o resto deste post »