Apenas um sonho

Postado em Atualizado em

por Jonas Madureira

Quando Deus chama, ele faz o que ele chama.

John Wesley

oleiroAs mãos enrugadas, marcadas pelo tempo e pelo labor incansável, tocam o barro junto à roda. O barro, ainda disforme vai girando numa cadência estonteante. As mãos do oleiro, em movimentos lânguidos e precisos, contornam e dão forma ao caos.

Um pastor se aproxima e observa os movimentos, quase sem respirar, tomando todo o cuidado possível para não atrapalhar o ofício do oleiro. Por um instante, a atenção do pastor se volta para os olhos do oleiro, e não mais para as suas mãos. O olhar do oleiro está fixo na direção do barro. E o pastor perplexo descobre que nada, nem a sua presença ali, é capaz de roubar a atenção que o oleiro dispensa sobre a sua obra.

Ele está totalmente entregue; seu corpo, sua alma e seu coração inclinados, ao mesmo tempo, junto à roda. Mas eis que o barro se desfaz, e se estraga nas mãos do oleiro. Vendo isso, o pastor é tomado por um espanto indizível, não porque o barro se estragou, mas porque o oleiro, mesmo diante da obra arruinada, não desvia o seu olhar do barro. Nada, nem a corrupção do barro, é capaz de roubar a atenção que o oleiro dispensa sobre a sua obra.

Então, o pastor novamente vê aquelas mãos enrugadas, marcadas pelo tempo e pelo labor incansável, tocando outra vez o barro junto à roda.

Enquanto o oleiro continua a sua obra, o coração do pastor escuta a voz de Deus. É uma voz amorosa, porém divina, a falar dentro dele assim:

Ó minha igreja, será que eu não posso fazer com você o que este oleiro fez com o barro? Como barro nas mãos do oleiro, assim é você em minhas mãos, minha igreja!.

O rosto do pastor está molhado, seus olhos encharcados, seu cenho caído. Então, perdendo as forças, o seu corpo desaba. O chão é o seu limite. E ali prostrado, ele ora:

Meu Senhor, perdoa-me por acreditar que eu poderia dar conta do barro estragado! Perdoa-me por pensar que seria possível corrigir, com minhas próprias mãos, o barro deformado. Perdoa-me por querer ocupar o lugar que é teu somente. Tu és o oleiro! E eu bem sei, meu Senhor, que não foi por imperícia do oleiro que o barro se estragou. O oleiro é perfeito; nada furta a atenção que ele dispensa sobre sua obra. O problema está no barro, na natureza do barro. Perdoa-me, Senhor, porque tenho olhado só para o barro, tentando corrigi-lo do meu jeito. Tua igreja pode estar estragada, sim, mas ainda bem que ela está estragada em tuas mãos, e não nas minhas! É em tuas mãos que o barro corrompido está e é pelas tuas mãos que o barro estragado voltará para o fogo, para ser novamente purificado e moldado uma vez mais pelas mesmas mãos. Tu és o oleiro! Sou apenas barro, barro em tuas mãos. Quebra a minha vida e me faça de novo! Quero ser o que tu queres que eu seja.

Tocou o despertador e eu acordei. Era apenas um sonho, mas parecia tão real…

Köln, 12 de fevereiro de 2012

 


jonasmadureira-icone Jonas Madureira é um dos pastores da Igreja Batista Fonte de Sicar (ou só Fonte de Sicar). Bacharel em Teologia pela Universidade Presbiteriana Mackenzie e pelo Betel Brasileiro em São Paulo; bacharel e mestre em Filosofia pela PUC-SP; doutorando em Filosofia pela USP com estágio sanduíche no Thomas-Institut da Universidade de Colônia (Alemanha). Professor de Teologia e Filosofia da Faculdade Teológica Batista de São Paulo, do Servo de Cristo e do Betel Brasileiro. Autor do livro “Filosofia” do Curso Vida Nova de Teologia Básica, publicado por Edições Vida Nova. Em 2005, recebeu da PUC-SP a premiação de Menção Honrosa, na área de Filosofia, pelo estudo que apresentou sobre a doutrina do conhecimento negativo de Deus em Tomás de Aquino. É editor de Edições Vida Nova.

 

Anúncios

Gostaria muito de conhecer sua opinião sobre este post/ I'd like to know your opinion about this post

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s