Mês: janeiro 2016

Quem são os Santos?

Postado em Atualizado em

Quando o Evangelho chega a nós, ele não nos dá uma lente de aumento para melhor vermos os pecados e falhas dos outros. Pelo contrário ele traz à tona os nossos próprios pecados, fazendo-os subir a superficie das nossas consciências entorpecidas, de modo que não podemos ignorá-los.

Vejo isso, por exemplo, quando olho para Isaías que tendo um vislumbre da santidade e magnitude de Deus, teme por sua própria vida: “Aí de mim que vou perecendo porque sou um homem de lábios impuros…” .Ou quando observo Pedro, o pescador, metendo a cara entre os peixes da primeira pesca maravilhosa e clamando a Jesus: “Afasta-te de mim, porque sou pecador.”

Não estou fazendo apologia a vida sob a tutela da culpa e do medo. Pois Isaías teve seus lábios purificados e foi chamado para ser profeta e Pedro, passou a ser um ex-pescador, pois o Senhor chamou-o para ser pescador de homens. Leia o resto deste post »

Anúncios

Dois erros comuns entre os pregadores

Postado em Atualizado em

“Mulher,onde estão os teus acusadores? Também não te condeno. vá e não peques mais.”

Um dos grandes erros que todo pregador está sujeito a cometer é caminhar nos extremos: condenando o pecado, mas sem apresentar a graça ou anunciando esta, sem denunciar aquele.

No primeiro caso nos tornamos condenadores, mensageiros da culpa e do medo, sem Boa Nova para proclamar. Já no segundo, corremos o grande risco de sermos profetas da libertinagem, do “tem nada não”, esquecendo do caminho estreito.

Nos dois casos aqueles que julgam estar anunciando o Evangelho, na verdade estão fazendo um desserviço. Pois toda caricatura é uma imagem distorcida e um Evangelho distorcido anuncia um Deus distorcido, uma realidade distorcida, uma igreja distorcida e outras verdades distorcidas. Leia o resto deste post »

“Eu, Sarau” em Maceió

Postado em Atualizado em

Há alguns meses (6 de novembro de 2015)  a cidade de Maceió foi palco de um espetáculo belíssimo, emocionante e cheio de esperança. A turnê “Eu, Sarau” do senhor Marcos Almeida passou por aqui e sem dúvida deixou registrado o conceito de sua arte. Uma arte que ultrapassa os muros da religião, que não é artefato dela, mas que é de Deus, que dialoga com a cultura e fala da vida, de esperança, do amor, de pessoas…

O “Eu, Sarau” é um show autoral, poético e brasileiro. Marcos Almeida traz em seu repertório canções da época do Palavrantiga, algumas novas e outras composta para amigos. Além disso ele apresenta ao seu público a poesia brasileira de Carlos Nejar, e o próprio poeta através dos “causos” que conta. Leia o resto deste post »