Boicote

BOICOTAR NÃO É PARA TODOS – uma postura cínica de uma agenda reducionista

Postado em Atualizado em

Texto publicado originalmente para o blog: Via Fidei – Caminho da fé

Boicote-APV

Recentemente Ana Paula Valadão publicou um texto onde não só demonstra sua indignação como convoca seu público a boicotarem a C&A por causa de propagandas da coleção Ouse, Misture e Divirta-se, as quais, segundo a cantora, fazem uma apologia a ideologia de gênero. Compreendo a indignação da Ana, sou contra a cosmovisão hedonista por trás da campanha publicitária da C&A, mas discordo do método proposto para lidar com isso, a não ser que se faça o mesmo com todas as marcas cuja cosmovisão presente em suas propagandas e produtos não seja cristã e neste caso, faço minhas as palavras de Paulo “teríamos que sair do mundo”.

Há pouco menos de um ano o pastor Silas Malafaia havia convocado o “povo de Deus” para boicotar O Boticário, devido sua propaganda do dia dos namorados ter incluso entre os casais presentes alguns homossexuais. O irônico sobre isto é que a Vivo também havia produzido uma propaganda do dia dos namorados com o mesmo molde, cuja única diferença foi que esta foi lançada um pouco antes daquela. O que nos leva a pergunta: “se é para boicotar quem faz apologia a homossexualidade então por que o pastor não convocou um boicote a Vivo também? Se é para boicotar a C&A por causa da imoralidade presente em suas propagandas, então por que não fazer o mesmo com a Rede Globo que faz o mesmo através de suas novelas? Leia o resto deste post »

A “Boca de Forno” do Boicote

Postado em Atualizado em

Hoje, por acaso, vi no Youtube que não só o Boticário lançou uma propaganda para o dia dos namorados com a presença de casais homossexuais, mas a Vivo também. A única diferença é que aquela foi publicada no dia 25 de maio, enquanto esta no dia 11 de junho.

Agora alguém me explique porque a propaganda do Boticário foi motivo para boicote e a da Vivo não? Se é para protestar contra uma, tem que fazê-lo contra a outra também, não obstante parece que é mais fácil boicotar perfume do que operadora de celular.

Quem aderiu ao boicote conclamado contra o Boticário terá que boicotar a Vivo também. E não só ela, se quiser manter-se coerente, mas qualquer outra marca que admita a existência da relação homossexual, porque se assim não for o que se vê são apenas participante da “Boca de forno”. Aquela brincadeira infantil comum no nordeste em que o “rei ordena” qualquer coisa sem precisar seguir uma lógica, a não ser sua vontade, e aqueles que estão brincando têm que obedecê-lo sem questionar sob pena de pagarem uma prenda.

Quando eu era criança costumava brincar disso. O melhor momento desta brincadeira era quando eu era o rei, pois mandar era sempre bom. Hoje, entretanto, não tenho mais interesse nela. Ela permanece apenas na minha memória, nas lembranças de uma infância vivida. Afinal quando se é criança, deve-se agir como criança, mas quando se cresce devemos deixar para trás as coisas de criança. A maturidade requer coerência ou no mínimo honestidade para reconhecer quando se está sendo infantil.