Cosmovisão Cristã

Cosmovisão Cristã e Liberdade Religiosa: Uma agenda de paridade e não de privilégios

Postado em Atualizado em

Symbol Scales is made of stones of various shapesCosmovisão é a tradução da palavra alemão Weltanschauung, que significa um modo de ver o mundo. Ela surgiu no contexto Iluminista por meio do filósofo Immanuel Kant, que a entendia como a compreensão da realidade e do sentido da vida a partir da autonomia da razão. No entanto com o passar do tempo, outros pensadores começaram a fazer uso dela, preservando seu significado essencial de compreensão da realidade, porém não mais limitando-a a razão. Eles compreenderam que ela estava relacionada as crenças fundamentais do sujeito. Friedrich Schelling e Soren Kierkegaard eram alguns deles.

Um dos principais autores sobre o assunto, James Sire, entende cosmovisão como sendo muito mais do que um compromisso intelectual, mas um compromisso religioso com o qual vivemos de acordo. Daí a razão pela qual ele a vê como sendo uma orientação espiritual, que pode ser verdadeira, parcialmente verdadeira ou totalmente falsa[1]. Além disso para Sire uma cosmovisão é “uma narrativa sobre o mundo”[2]. Por isto, podemos dizer que a cosmovisão de uma pessoa são as narrativas que moldam sua vida e que a ajuda a compreender a realidade. Respostas as perguntas: Da onde eu vim? Para onde eu vou? Quem é Deus? Qual o sentido da vida? Isto é certo ou errado? Qual a origem do mal? Denunciam nossa cosmovisão, nosso conjunto de crenças básicas.

Tanto James Sire quanto Norman Geisler reconhecem haver várias cosmovisões, as quais estão relacionadas de algum modo as crenças religiosas. O que é compreensível já que se trata de uma orientação espiritual. Como o cristianismo nos oferece uma narrativa sobre a realidade e respostas as questões fundamentais, servindo-nos não apenas como lente, mas bússola. Nele encontramos uma cosmovisão que se fundamenta nas Escrituras. Portanto uma cosmovisão cristã nada mais é do que enxergar toda a realidade através da Palavra de Deus.

A supremacia de Cristo é o pressuposto estrutural desta cosmovisão, o que nos lembra a famosa declaração de Abraham Kuyper: “não há um único centímetro quadrado em todos os domínios da existência humana sobre o qual Cristo, que é soberano sobre tudo, não clame: é meu! ”

Uma cosmovisão cristã deve ser cristocêntrica, porque a fonte das nossas crenças fundamentais é as Escrituras e são elas que testificam de Cristo, afirmando que tudo foi criado para Ele e por Ele, e sem Ele nada do que foi feito se fez. Leia o resto deste post »

Anúncios