graça

Dois erros comuns entre os pregadores

Postado em Atualizado em

“Mulher,onde estão os teus acusadores? Também não te condeno. vá e não peques mais.”

Um dos grandes erros que todo pregador está sujeito a cometer é caminhar nos extremos: condenando o pecado, mas sem apresentar a graça ou anunciando esta, sem denunciar aquele.

No primeiro caso nos tornamos condenadores, mensageiros da culpa e do medo, sem Boa Nova para proclamar. Já no segundo, corremos o grande risco de sermos profetas da libertinagem, do “tem nada não”, esquecendo do caminho estreito.

Nos dois casos aqueles que julgam estar anunciando o Evangelho, na verdade estão fazendo um desserviço. Pois toda caricatura é uma imagem distorcida e um Evangelho distorcido anuncia um Deus distorcido, uma realidade distorcida, uma igreja distorcida e outras verdades distorcidas. Leia o resto deste post »

Anúncios

In Memoriam – Pastor Zé Neco

Postado em Atualizado em

Arte: Ebenézer Ferreira

A Assembléia de Deus em Alagoas está enlutada devido ao falecimento do nosso pastor, José Antônio dos Santos. Na semelhança na sexta-feira da Paixão, o dia de ontem foi de lamento e choro para muitos que tiveram a graça de conhecer este arauto do evangelho.

Pastor Neco, como carinhosamente era conhecido, ocupou os cargos de presidente da União dos Ministros das Igrejas Assembléias de Deus no Nordeste (UMADENE), vice-presidente da Convenção Geral das Assembléias de Deus no Brasil (CGADB) e por quase 30 anos como pastor presidente das AD’s em Alagoas. Mas seu maior serviço prestado foram os quase 53 anos em que serviu no ministério pastoral em diversas igrejas do interior a capital, onde concluiu seu ofício na igreja do bairro do Farol, como pregador da Palavra.

Desde a minha adolescência via o carinho com que os irmãos falavam sobre este pastor cujo nome era sempre associado a integridade, sabedoria e aconselhamento. Sua casa estava de portas abertas para receber todos que ali chegavam quer para se hospedar, quer para se aconselhar. Era um homem acessível, hospitaleiro e que sabia ouvir.

Minhas lembranças acerca do Pastor Neco são em sua maioria associadas a outros nomes. Pessoas que compartilharam trechos de suas pregações, conselhos que receberam e experiências que ele viveu. No entanto trago comigo a de um encontro que tive com ele. Na ocasião, contou-me de um irmão que numa oração, pediu a Deus para que se houvesse algo nele que não estivesse agradando o Senhor, que este o relevasse. A noite o irmão sonhou que abria a Bíblia e procurava um texto para pregar, e o único texto que encontrava era o salmo 125. Todavia quando tentava pregá-lo, não conseguia. Ao acordar, o irmão ficou pensando no significado do sonho e o discernimento que teve foi que ele não estava confiando no Senhor. Após este relato, pastor Neco riu e disse “sabe quem era este homem? Eu!” Leia o resto deste post »

O dia em que aprendi sobre a Graça de Deus

Postado em

garrasdagrac3a7aNo início da minha fé, li vários livros do Max Lucado. Foi a partir da leitura de “Simplesmente como Jesus”(CPAD) que desenvolvi o hábito de ler. Me tornei um fã das suas obras, mas nenhuma delas foi tão reveladora quanto “Nas Garras da Graça”(CPAD).

Esse livro foi escrito principalmente tendo como texto-base o comentário bíblico de Romanos (ABU) do Reverendo John Stott. Foi lendo o texto do Lucado que me surpreendi pela primeira vez com a graça de Deus. Na época não conhecia o termos irresistível, preveniente, comum e especial atribuídos a ela. A graça era apenas a graça de Deus e nada mais.

Lendo “Nas Garras da Graça” tive muitos momentos de dúvida em relação ao que o Max estava falando. “Será que é assim mesmo?”, “Mas não há limites para o perdão de Deus?”, “Isso tá bom demais para ser verdade!” Percebi que se o que estava sendo apresentado ali fosse a verdade, então estava crendo numa caricatura de Deus, num deus cujo perdão tem limites, cuja severidade é maior do que sua bondade, num deus a quem precisava pagar penitencia como jejum ou outro “sacrifício” para ser perdoado.

Não tive como lê-lo sem questioná-lo. E confesso que até que aquelas verdades fossem absorvidas em minha mente e coração demorou um pouco. Mas de tão maravilhosa, como cantou John Newton, ela ainda hoje me deixa abobalhado, fascinado, grato, humilhado…Faço coro com certo pastor que disse que não há como pregar sobre a graça sem que os ouvintes fiquem incomodados.

O Max Lucado me incomodou, me deixou inquieto ao me apresentar a graça, ele abriu a porta e desde então percorro o caminho apresentado…

Grace – A mulher da minha vida

Postado em Atualizado em

O Criador é criativo e sua criatividade é boa, ela seguiu um processo que teve sete etapas e no fim “viu Deus que era tudo muito bom”, porém neste processo nem tudo foi perfeito, pois houve algo que não se encaixou: “não é bom que o homem esteja só”. Qual a solução? “Criarei uma companheira que lhe corresponda” ou nas palavras de Eugene Peterson “que o ajude e faça companhia a ele”[i]! Aí surge a mulher, o que é ela? A princípio é a ajudadora e companheira que todo homem precisa! E quem é ela? Cada homem deve conhecer a sua!

Esta mulher não é apenas a esposa, mas a mãe, a filha, a avô, a tia, a nora, a cunhada, a afilhada, a namorada, a noiva, a professora e tantas outras profissionais e vocacionadas que aparecem como nossas ajudadoras; que o digam aqueles que vêem na personagem da novela “Fina Estampa”, Leia o resto deste post »